You are viewing bulinha

Um pouco de mim...
Recent Entries 
29th-Aug-2007 09:03 pm - Os Guerreiros
Os Guerreiros

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Se eles têm duas caras nos não temos,
Se eles se mascaram nos não o faremos!

Somos guerreiros lutadores, enfrentando leões

Cobras mascaradas de donzelas
Mas nos vamos a elas, e lutamos
Com armas que só nós temos
E só nos conhecemos.

Só quem não sabe ao que vem, tentar connosco lutar
São parvos os cabrões que nos tentam derrubar

Somos fortes peões, deste jogo de xadrez
Que é a vida, e o mundo que tu vez

Somos gigantes em terras de anões
Mosqueteiros em terras de ladrões.
Somos ambiciosos, eles apenas invejosos
Somos felizes e sorridentes
Eles somente correntes

Correntes presas à cobiça,
À inveja e avidez,
Daquilo que temos, daquilo que somos
Fomos e seremos
Peões que se transformam em rainhas
Em momentos de necessidade

Estrelas que nos acompanham
Luares que nos banham
Momentos que sonhamos
Aquilo que conquistamos

Inveja e cobiça
É o que vocês têm e unicamente terão
Pois por cima de nos, jamais passarão…


Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
7th-Feb-2007 11:06 am - Momento
Momento

Photobucket - Video and Image Hosting

Algum dia chegará o momento
Que te falei por falar
De segundos que não passam
Que Permanecem parados,
No tempo
Quietos e sossegados
À espera do tal momento
Que também tu esperas
Mas que não sabes quando virá
Nem quando o fará
E parado ficas à espera do tal sinal
Para o momento
Que tanto anseias
Mas que não se mostra
E tu?! Também não procuras...
Esperas o que é fácil
Eu procuro
Até mesmo sendo difícil
E avanço no caminho escuro
Do qual nem o horizonte vislumbro
Mas um dia lá chegarei
E tu?! Parado continuarás...
À espera do tal momento
Que te falei.


Andreia Alexandre
Bulinha
31st-Dec-2006 12:18 pm - TIC-TAC
Photobucket - Video and Image Hosting

Num dia de Inverno
Frio e nublado
Em pleno tempo incerto
Sublime e parado
Pelo relógio que já não conta
Os minutos do faz de conta
Que tão incessantemente
Tentas fazer recuar
No espaço de um momento.
Um tic-tac expectante
Louco, ressoante
Dum segundo que foi mandado parar
Pelo teu coração,
Louco de emoção
Que grita a cada boa recordação
De momentos passados
Ao som
Do relógio do teu coração
14th-Dec-2006 09:25 pm - Poeta
Photobucket - Video and Image Hosting


Palavras soltas sem sentido
É tudo o que escreve um poeta
Que não é mais que um apaixonado
Cantando um linda canção
De um doce dedilhado acompanhado,
De frágeis palavras cheias de emoção.
E expressa seus sentimentos
Numa folha de papel
Branca, lisa e só...
Nuvem, que corre no céu de um Mundo
Que já não ouve o poeta
Já não olha para a alma, fundo
De um ser abandonado
Pela tinta da sua caneta
Que junto com ele escrevia...
Palavras, mágoas de sangue manchadas
Deixadas pelo tempo de um silêncio
Que matou o poeta
Que numa folha de papel contou
O que sentia e o vento levou
A folha que se apagará
Como a vida do poeta se findará...
31st-Aug-2006 04:29 pm - Sou como Sou
Photobucket - Video and Image Hosting

Sou como Sou

Chamam-me misteriosa alguns,
Outros amiga e carinhosa...
Mas quem terá razão no meio desta confusão?
E a resposta chega-me com o vento
Que me responde: Ninguém...
Tu és o que és e nada mais além!
E esboça-se um sorriso
Afinal foi o que sempre procurei
Foi este o mundo que em pensamentos criei
E lembro-me então dos olhares intrigados
Que procuravam a razão da minha felicidade
Mas ninguém podia ou sequer correspondia
Aos delirios de quem apenas vive
Este tempo que me foi concedido,
Esta loucura saudável que posso controlar
E por isso sou quem sou
E jamais me dirão porque o sou
Porque eu sou como sou e não quem querem que eu seja
É isto que eu amo
A minha liberdade conquistada,
Que jamais me será tirada...
1st-Aug-2006 12:39 pm - É Preciso saber viver
Photobucket - Video and Image Hosting


É Preciso saber viver
E saber ver, de cada vez que o sol nasce
A sua luz e o seu explendor.
É preciso acreditar que ele está lá
Mesmo que não o vejamos.
Desde que acreditêmos
Tudo será diferente!
É preciso ver cada novo dia como um início,
Cada momento como um só
E quando estiveres à beira do percipicio
Olha bem fundo, bem dentro de ti
E renasce, e acredita na luz
Dá meia volta e grita:
- EU SOU CAPAZ!!
E caminha com a certeza de que lá chegarás
É preciso que acredites em ti,
Na tua Força, no teu Poder,
No teu Caracter e Amor.
Acredita e viverás, crê em ti e feliz serás!
É preciso que aprendas a escutar
Com ouvidos de quem ouve, de quem vê e sente...
Acredita em todos os teus sentidos
E não deixes que eles te sejam escondidos
Não adormeças ao som de uma linda canção,
Pois, por vezes, o belo e lindo
Esconde a tristeza e a desilusão...
É preciso, por isso, aprender a viver...
Aprender a lidar com cada passo teu
Com a terra e o céu
E em Harmonia com todos os elementos
Ser Feliz...


Nota:A imagem exibida neste poema foi tirada por mim em portimão...
9th-May-2006 12:27 pm - A onda do mar
Photobucket - Video and Image Hosting

O bater forte e doce das ondas
Acalma-me o espirito e a alma
E são elas
Que me arrastam daqui
E parto numa viagem sem fim
Numa busca sem igual
E pergunto-me: Por que tem de ser assim?
E esqueço o Mundo ao meu redor
Neste queixume delicioso
Que é o bater do mar.
E sinto a minha alma a ser leada
E o meu espirito a ser encaminhado
Para um destino incerto
E sinto uma lagrima a descer minha face
Que cai, confundindo-se com a onda
Que bate no meu coração.
E fico feliz, agora parte de mim
É livre por fim
E sou inundada pela sensação
Da liberdade conquistada
E sorrio por fim
Nesta calma apaixonada
Pela qual estou enamorada

Andreia Alexandre
08/05/06
10th-Nov-2005 09:39 pm - "Alma de Pássaro"
"(...) o futuro é o tempo de um verbo que se aprendeu na escola; o passado é sempre conjugado no pretérito perfeito, não há imperativo nem condicional. A vida corre no presente, sem planos nem projectos a longo prazo.(...)"

"Alma de Pássaro"
Margarida Rebelo Pinto
14th-Sep-2005 01:57 pm - Caminho
Caminho

Image hosted by Photobucket.com

Estou em paz
Sentindo o vento que me bate na cara
E me leva o pensamento
Para lá do espaço
E recordo, assim, os momentos
Que me marcaram a vida.
Os felizes e encantados
Os tristes e chorados
E deparo-me com as diferenças
Do que era e do que sou
Para onde ia e para onde vou
E sinto que o meu caminho
Estou a percorrer,
E que lá no fundinho
Esta a porta que tenho de alcançar
Mas deparo-me tambem com pedras
Que foram ali deixadas
Para me atrasar na jornada.
Mas ao lado, ou mesmo por cima passarei
E já mais me sentirei derrotada
Pois sou amada e amparada
E sei que jamais estarei só
Assim sei que após a grande caminhada
A porta alcançarei

Image hosted by Photobucket.com
11th-Sep-2005 02:17 pm(no subject)
Voltei do meu 1º acampamento com o Grupo de Jovens de Queijas (dia 9) foi uma semana completamente diferente, com muitas emoções, onde estavam presentes pessoas que eu conhecia bem e outras menos bem e algumas que não conhecia de todo. Foi muito bom pois serviu para refletir sobre tanta coisa e principalmente para me aliviar o coração de todas as tenções e (quase) ódios que cá se alujavam. Voltei uma mulher renascida, descubri que é possivel mudar tanta coisa com a força de um sorriso. Gostava de ter feito uma especie de diário para não me esquecer de nada nem de ninguém, mas sinceramente acredito que jamais esquecerei aquelas pessoas e aqueles momentos que tanto me marcaram. Por tudo isto hoje sou uma mulher melhor! Sei que talvés não seja das pessoas mais marcantes, nem daquelas que todos deêm pela falta, mas a mim sei que todos me farão falta!!!

Um beijo grande para todos
4th-Sep-2005 09:03 pm - Elvas 2005
Image hosted by Photobucket.com

O vento agita as folhas,
E o seu bater
Agita igualmente
O meu ser.
As vozes que se ouvem
Ao longe são vozes conhecidas
De gente jovem
Que muito me pode ensinar
Que muito amor tem para dar
E agradeço-lhes e a Deus também
O apoio e acolhimento que me estam a dedicar!
E quando penso nisto
Dá-me vontade de cantar e cantar e cantar
Mostrar o quanto estou a gostar
Destes momentos qu convosco estou a viver
Os quais jamais irei esquecer
Quer momentos, palavras, pessoas, canções, até mesmo as lagrimas.
Assim ao G.J. tenho de agradeçer

Andreia Alexandre
Bulinha
10th-Aug-2005 08:10 pm - Destino
Destino

Photobucket - Video and Image Hosting

Olho para o chão e deparo-me com uma quantidade infidável de caminhos,
E apercebo-me da incerteza da minha exitência
Olho para o céu, escuro e calmo
E vejo um salpicado de cores brancas, cinzentas, negras,
E apercebo-me da minha própria tristeza.
Refletida no céu deste dia de Verão, que mais parece Inverno.
Olho para a frente, de cabeça erguida, e vejo um horizonte infindável
E apercebo-me da incerteza do meu futuro.
E cabisbaixa fico desolada com tamanhas incertezas!
Mas, é então que paro!
Grito!!
Choro!!
Alegro-me!!
Sorrio!!
Contraste simples pelo pensamento que se formou
A incerteza, do que irá acontecer
É o que me faz continuar a percorrer
Este caminho
Que mesmo não sabendo qual o fim,
Sei que tenho algo para aqui fazer, Sim!
Tenho que tentar viver o que me foi destinado,
Qual tempo já passado?
E sei que atingirei o fim,
O céu aclarar-se-á,
E o Horizonte findar-se-á
E de cabeça erguida
Irei procurar
O meu destino...

Photobucket - Video and Image Hosting
10th-Aug-2005 07:40 pm - Tempestade
Image hosted by Photobucket.com

Tempestade

O vento entra pelas frestas abertas do tu coração
e faz todo o teu ser agitar-se
tal qual um árvore com suas folhas ao sabor do vento.
E perdes-te nesta tempestade de transição
Entre a Primavera e o Verão
O ameno e o calor intenso
Que percorre o teu corpo, ardente de paixão
Estás perdido, um amante trespassado
Pela certeza da dissulução
Quem és? Doce coração ardente...
Que gritas ao meu ouvido sussurante, espectante, ansioso
Por uma resposta que sabes não ter
Estás perdido no meio desta tempestade de transição
Entre o Verão e o Outono,
Em que a flor desaparece, as folhas
Quedam-se, qual lagrimas de sangue e saudade,
Um tapete de amarelos e castanhos se estende
A teus pés, e fazes dele uma passadeira
De acesso ao infinito que procuras alcançar
Mas perdes-te no tempo e no espaço, de um sorriso,
Perdes-te no meio desta tempestade de Passagem
Entre o Outono e o Inverno, triste e frio
Tal e qual um ser abandonado pelo tempo, uma aragem
Fria, um floco de neve branco, gelido e doce se
Aninha em teu corpo desolado pelo tempo
Do nevão que se apuderou do teu frágil coração.
2nd-Apr-2005 08:12 pm - Desamparada
Há algo no fundo do tunel
Uma porta, uma janela,
Algo imperceptivel, inatingivel
Que tento desesperadamente alcançar

E porquê? Porque preciso de viver
Preciso de sonhar,
De um fim, para caminhar
Onde estás tu?

Onde estás, para onde foste?
Trespassas-te a porta ou janela
E não te consigo alcançar
Para onde foste, porque me tiveste de abandonar?

Image hosted by Photobucket.com

Volta, Volta! preciso de ti!
Eu grito, tu escutas
Mas não respondes, nem voltas
És insencivel, cruel que me deixaste

Triste, e só, e desamparada
Pobre de mim, coitada
Que choro calada
Lágrimas de sangue

Partiste sem mais por que
e trespassaste a porta do infinito
E abandonaste-me
Numa amostra de crueldade

E sinto-me roubada,
violada, mais uma vez desamparada
Por ti, por ele, pela eternidade
Volta, Volta para perto de mim
12th-Feb-2005 10:00 pm - Morri


Morri...

Morri quando nasci,
Pois nasci e tudo perdi
Agora tudo tenho de procurar
Para a vida recuperar...

Fiz da vida
Uma eterna subida
Para escalar
E o topo tentar alcançar

Quando la chegar
Morrer, eu vou voltar
Pois é no auje da vida
Que termina a eterna subida
27th-Oct-2004 04:24 pm - cats


No dia 10 de Outubro fui ver o maior espectaculo musical de sempre - cats - e como esperava amei, foi lindo, involvente, vibrei com a musica, com os movimentos, com a dança, com as letras, com tudo... e até chego kuase a desejar ser um gato. aconselho vivamente a kem kiser ir ver pois vale mesmo a pena :)
7th-Sep-2004 06:50 pm - um simples desabafo complicado


A vontade de deixar rolar a lagrima suprimida que se encontra dentro do meu coração está a alcançar os meus olhos e sinto que já não tenho forças para a continuar a aguentar...e porque?... não sei apenas me apetece chorar, apetece-me libertar a raiva que está dentro de mim, miturada com a angustia e com uma pitada de revolta... sinto-me presa entre quatro paredes tão fortes que nem o som as trespassa... preciso e anseio a liberdade e é por ela que chora o meu coração, é por ela que esta raiva cresce, porém em vão... pois chorar não leva a lado nenhum... preciso de me fortalecer para ganhar esta batalha entre deixar rolar a lagrima ou prende-la em meu coração...
5th-Sep-2004 09:45 pm(no subject)


uma imagem tão bonita, acompanhada por um texto curto mas cheio de simbolismo... olhem para esta imagem e não a vejam apenas como mais uma... vejam como algo que nos propõe uma lição...algo que deveria servir de inspiração a muita gente e porém, a esmagadora maioria das pessoas não se importa com a beleza dos seres...mas apenas com o lado material e tal como diz o texto um dia aperceber-se-ão que o dinheiro não se come, que o dinheiro nao é felicidade nem saude, mto menos vida... mas nessa altura receio que seja tarde demais...
a todas as pessoas deste mundo desejo que descubram a verdade e que acordem deste sonho que mais tarde ou mais cedo se tornará num pesadelo para todos nos :(
3rd-Sep-2004 09:13 pm - O Mundo
O mundo


O meu mundo tem cor,
Por vezes é verdade
MAs tem tantas vezes dor,
Que a cor se desvanece, na realidade

Quem me dera ter
Mil lapis para pintar
o mundo de mil cores
Cada cor com mil sabores



Mas não pintaria só o meu mundo
Pintaria também
O mundo de todos aqueles que fazem o bem
De todos aqueles que estão la no fundo

Afogando-se em dor
Tendo no mundo ausencia de cor
o que não devia ser realidade
Esta é a verdade



Andreia Alexandre
[Bulinha]
2nd-Sep-2004 07:21 pm - Nas asas do vento...


Nas asas do vento...


Nas asas do vento
Quero ser levada,
Sem saber para onde
Confiar e andar
Deixar-me levar nas
Asas do vento, e pensar
Com leve pensamento
Que o alento
É como o vento
Vai e vem
Sem nunca ficar
E assim me faz pensar
Em qual o proposito
De caminhar
Sem saber onde me direcionar

Andreia Alexandre
[Bulinha]
30th-Aug-2004 07:41 pm - the end and the begining of something


acabou... matas-te o amor que a mim te unia... e por isso libertei-me... repus as minhas asas de borboleta e levantei voo... agora onde irei pousar novamente não sei nem desejo saber... pois a curiosidade, a ansiedade é o grande erro do Homem...e eu não quero voltar a errar, não quero voltar a desejar em vão, nao quero voltar a sofrer pelo nada, pelo incerto, porem, sei onde gostaria de me dirigir e sem deixar akeles que amo e que sei que me amam, iria pousar na lua... onde o infinito de estrelas me alimenta, o brilho do sol me aquece, a miragem da Terra me reconforta...e ai sei k seria feliz...ai poderia amar o que quisesse sem magoar ninguem... poderia amar uma estrela... e entao... que mal teria - nenhum - pois mais ninguem a amaria... porem nao posso partir... tenho aqui muito que me detem... os amigos que amo principalmente e voces foram, são e serão (tenho a certeza) quem me dará alento para continuar... para amar... a todos akeles que gostam de mim um beijo, doce, terno e sem espera de retorno... amo-vos meus amigos - voces sabem quem são :)
29th-Aug-2004 07:23 pm - O Céu


O Céu


Tão bonito e tão incerto
Por vezes azul e aberto
Outras vezes cinza e incoberto
Tal como um humano
Por vezes sorrindo feliz,
Outras vezes triste chorando,
Chorando lágrimas de saturação,
Tal como o céu
Nos dá chuva, sua benção
Mas também há sorrisos
Bonitos, abertos, felizes e doces
Tal como o céu nos presenteia
Com o brilho do sol, a magia da lua
Que não é nem minha nem tua
É de todos
De todos aqueles que desejam
De todos aqueles que anseiam
De todos aqueles que a querem ver
Ver só pelo prazer
Só pela paz que transmite
Pela tristeza que omite
Numa noite linda e singela
Tão bonita que até gela
Gela o coração
De paz e comoção
De Felicidade e Harmonia
Para o ínicio de um novo dia...



Andreia Alexandre
[Bulinha]
29th-Aug-2004 07:13 pm - Gota de água


Gota de água



Quem me dera poder ser
Uma gota de água
Para o Mundo poder observar
E tudo poder contemplar.
Quem me dera ser água
Para, pelos rios viajar
As casas visitar
E todos os rostos beijar
Mas gota de água não sou,
Sou apenas mais um sonhador
Que sonha com ardor
Os sonhos de uma criança
Que não cresceu
E que tem noção, que nada tem de seu
E é este o desejo desta criança
Que cresceu na ignorância
De todos queles que a rodeiam
De todos aqueles que a odeiam
De todos aqueles que mostram
Tudo aquilo que não são
E isto é, sem explicação
Aquilo que o ser humano faz,
Mostrando o que não é
Fazendo tudo o que possivel é
Para subir
E sobressair
Num mundo de ilusão
Em que para um criança
Já não há compreensão
Pela sua presença
Num mundo hipocrita
Inconclusivo,
Inexpressivo, e sem o furor
De viver so por viver
Num mundo que
Para todos deveria ser
Uma fonte de prazer.



Andreia Alexandre
[Bulinha]

This page was loaded Apr 23rd 2014, 4:57 pm GMT.